Reporteros sin fronteras

Uma jornalista afastada do canal público: Repórteres sem Fronteiras escreve ao Governo para denunciar a sua “ingerência”

Uma jornalista afastada do canal público: Repórteres sem Fronteiras escreve ao Governo para denunciar a sua “ingerência”

Publicado el Martes 25 de enero de 2011.
Versión para imprimir de este documento ImprimirEnviar la referencia de este documento por email enviar françaisEnglish

Repórteres sem Fronteiras escreveu, a 25 de Janeiro de 2011, ao Primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe, o Dr. Patrice Emery Trovoada, assim como ao director da estação de televisão pública TVS, Óscar Medeiros, a fim de denunciar o afastamento da jornalista Maria da Conceição de Deus Lima e pedir-lhes mais explicações sobre o caso.

Repórteres sem Fronteiras solicita a Patrice Trovoada e a Óscar Medeiros que se empenhem em fazer da liberdade de imprensa uma prioridade no país e que reintegrem Conceição Lima na TVS.

No início de Dezembro passado, a jornalista havia preparado para o seu programa, com o acordo da direcção do canal, uma entrevista com Carlos Veiga, candidato ao cargo de Primeiro-Ministro do Cabo Verde. Esta entrevista foi subitamente anulada, sem razão aparente, pelo director do canal, pouco antes da sua transmissão. Em resposta, Conceição Lima denunciou esta medida de censura num artigo para o jornal digital Téla Nón. No dia seguinte, Óscar Medeiros convocou a jornalista e informou-a de que o seu contrato, que expirava no final do ano, não seria renovado. A única justificação apresentada por Óscar Medeiros explicava a decisão “por ordem do Governo”. O programa “Em Directo” foi então suspenso.

“Estamos chocados com a notícia do despedimento de Conceição Lima, tanto mais que o seu programa gozava de uma grande popularidade em São Tomé e Príncipe e que a sua trajectória profissional fora sempre reconhecida e apreciada pelos telespectadores e pelos seus colegas da comunicação social. Condenamos firmemente a ingerência do seu governo no funcionamento da TVS. Esta medida de censura vulnera seriamente a liberdade de expressão e a liberdade de imprensa. A intervenção do governo que o senhor Primeiro-Ministro dirige na saída de Conceição Lima é arbitrária e lesa os fundamentos democráticos do seu país”, declara a organização na carta enviada ao Primeiro-ministro.

Repórteres sem Fronteiras também expressa a sua preocupação pelo facto de que, após a alternância política que levou ao poder Patrice Trovoada, em Agosto de 2010, o acesso dos jornalistas às fontes de informação oficiais se tenha complicado, dificultando o exercício da profissão.

Para apoiar Conceição Lima, pode assinar esta petição em linha.

CLASIFICACIóN MUNDIAL

ENEMIGOS DE INTERNET

FICHA DE PAÍS

close
close
close
Presentación | Contáctenos | CGU